IRPF 2021

Prezados Clientes!

Inicia hoje o prazo para a entrega da declaração de IRPF2021, Ano-calendário 2020.
Providencie sua documentação e agende um horário conosco.
Não deixe para última hora e evite transtornos desnecessários.

Segue abaixo a lista de documentos necessários:

Dados Pessoais:

  1. RG ou Carteira de motorista
  2. Título de eleitor
  3. Endereço
  4. Telefone
  5. E-mail
  6. CPF do Cônjuge
  7. Profissão
  8. Dependentes: Nome, Data de Nascimento e CPF
  9. Cópia da Declaração anterior (caso tenha feito)

Segue lista de documentos necessários:

  1. Informes de rendimentos de instituições financeiras, bem como de salários, pró-labore, distribuição de lucros, aposentadorias etc…
  2. Controle de compra e venda de ações, com apuração mensal de imposto e relação de ações 31/12/2020;
  3. Recibos e notas fiscais relativos a despesas com saúde;
  4. Comprovantes de despesas com instituições de ensino;
  5. Recibos de pagamentos à previdência privada e oficial;
  6. Recibos de aluguéis pagos ou recebidos;
  7. Documentos que comprovem venda ou compra de bens em 2020, inclusive matrículas dos bens já declarados, Nº do IPTU ou NIRF (rural), data de aquisição, Renavan dos veículos;
  8. Recibos de pagamentos de prestação de bens como imóvel e carro:
  9. Documentos comprobatórios de dívidas assumidas em 2020;
  10. Comprovantes de despesas do livro-caixa (para prestadores de serviços autônomos);
  11. Darfs de carnê-leão pagos;
  12. Comprovante de doações para fins de incentivos fiscais (Fundos da Criança e do Adolescente, Lei Rouanet, Audiovisuais etc.);
  13. Todos os documentos acima referentes a dependentes, além do número do CPF de dependentes e alimentandos (obrigatório – senão não poderá ser usado);
  14. Dados da conta bancária para restituição ou débito das cotas do imposto caso tenham.

Quem está obrigado a declarar?

  • Quem recebeu em 2020 rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70;
  • Quem teve rendimentos isentos acima de 40.000 reais no ano de 2020;
  • Quem obteve receita bruta de atividade rural superior a R$ 142.798,50;
  • Quem tinha, em 31 de dezembro de 2020, bens que somavam juntos mais de R$ 300.000,00;
  • Quem obteve, em qualquer mês do ano, ganho de capital não isento com a venda de bens e direitos (como imóveis, por exemplo), ainda que tenha obtido isenção de IR;
  • Quem realizou operações em Bolsa de Valores;

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *